segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

QUAL SERIA O BALANÇO DA HUMANIDADE SE O MUNDO ACABASSE?

Se a profecia Maia estiver correta, no próximo solstício de verão (hemisfério sul), mais precisamente no dia 21 de dezembro de 2012, o nosso mundo vai acabar! Levando isso em consideração, o nosso jornalista, blogueiro e redator Everton Lima preparou um texto que vale a pena ser lido! Antes do dia 21, de preferência.

Qual seria o balanço da humanidade se o mundo acabasse?


         

Um ditado popular nos lembra que "a única certeza da vida é a morte". E, de fato, é. Mas após as profecias do ano 2000, nos deparamos com outra onda pessimista de pessoas que afirmam que o mundo vai acabar.

Levantar idéias de como essa catástrofe vai acontecer - se acontecer, é claro - é perda de tempo. A dúvida que fica: se o mundo acabar, que tipo de mundo deixará de existir?

Alguns dirão que será um mundo injusto, um mundo que sempre falou da fome da África enquanto se deliciava com um Big-Mac e um copo grande de Coca-Cola,um mundo que sabia que a região nordeste do Brasil sofre com secas constantes, mas insiste em ignorar este fato e diz que o Brasil é o país do futuro, sexta economia do mundo. Seria justo acabar sem ver os mensaleiros e outros corruptos na cadeia? E assistiríamos o Apocalipse na Globo ou na Record? Talvez pelo Youtube,com imagens exclusivas de algum internauta que gravou tudo com seu Iphone 5.

Por outro lado,deixará de existir também o mundo que foi abrigo de pessoas admiráveis, o mundo que serviu de palco para Jesus Cristo, Gandhi, Madre Tereza, Chico Xavier e tantos outros humanos que, por algum motivo qualquer, resolveram se importar com o bem estar coletivo. Enquanto você lê este texto, provavelmente deve ter algum médico salvando vidas, um policial arriscando sua vida, quem sabe até um cientista procurando a cura do câncer.

Aquecimento global, corrupção, desigualdade social, fome, sede, guerras. Dia 21 de dezembro será o momento em que este mundo doente, que já esta agonizando a tanto tempo sem ser medicado da maneira correta, vai enfim descansar? Acho que não. A mesma bactéria que fez deste um mundo doente, também é a cura de seu mal. Como se fosse uma relação de amor e ódio: a "bactéria humana" tem o poder de destruir, mas também de reconstruir, de inventar.

Se Nostradamus nos amedronta e a NASA tenta nos acalmar, não importa. O que realmente importa é que tomemos as rédeas de nossa vida, e que não deixemos que o mundo acabe, nem o planeta Terra e nem o nosso mundo particular, com nossos sonhos esperanças.


Texto: Everton Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário