segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

JOÃO E MARIA: CAÇADORES DE BRUXAS 3D - CRÍTICA



Que a melhor forma de matar uma bruxa é queimando-a, isso nós sabemos. Aprendemos essa técnica com o malleus malleficarum (manual de diagnóstico para bruxas), com a Igreja Católica na Idade Média e no seriado Supernatural (os Irmãos Winchester curtiriam esse filme!). Porém, as próprias bruxas também sabem muito bem disso. Agora imagina se houvesse um método de tornar as bruxas a prova de fogo? Bom, é exatamente esse o objetivo das bruxas do filme João e Maria: Caçadores de Bruxas, que está em cartaz nos cinemas. O apiceiro Pedro Almeida comprou seu ingresso e munido de um óculos 3D foi conferir o filme:

Os irmãos Grimm bateriam palmas da primeira fileira do cinema se ainda estivessem vivos e pudessem prestigiar a estreia do filme, afinal, a tradicional história infantil tomou proporções bem diferentes na sua mais recente adaptação cinematográfica. O clima de terror e as sequências de luta nos fazem esquecer quase completamente que o original era uma historinha de criança. A única semelhança com a história que conhecemos fica por conta da cena inicial, onde os irmãos são atraídos pela bruxa para a casa de doces. Créditos para a cena em que a pequena Maria esfaqueia a bruxa no melhor estilo assassino do filme pânico.



Após sobreviverem ao ataque, João (Jeremy Renner - o Gavião Arqueiro de Os Vingadores) e Maria (Gemma Arterton – a Io de Fúria de Titãs) se tornam caçadores de bruxas. Eles cobram pelos serviços, afinal, cada um precisa encontrar uma maneira de ganhar a vida né? A trama começa quando eles são chamados para investigar uma série de desaparecimentos de crianças e a maior vilã do filme, a poderosa bruxa negra Muriel (Famke Janssen – Jean Gray do X-Men), pretende usá-las para fazer um ritual e tornar as bruxas invencíveis. E somente os irmão parecem ser os únicos que podem impedir tais planos maquiavélicos.



Parece uma história simples, mas as cenas de suspense e ação fazem o filme ser uma excelente obra prima. Destaque para o excelente uso da tecnologia 3D, principalmente durante as lutas, e nesta dá para incluir os efeitos especiais. Outros elogios podem ser feitos para a interpretação dos atores, fotografia, trilha sonora (principalmente a música que toca nos créditos), figurino e maquiagem. Ao contrário de algumas adaptações de contos de fadas que tentaram fazer algo legal e não conseguiram, avaliei este filme em "Ótimo!".



Ficha técnica:

Nome do filme: João e Maria: Caçadores de Bruxas 3D
Nome original: Hansel and Gretel: Witch Hunters 
Direção: Tommy Wirkola 
Roteiro: Tommy Wirkola e Dante Harper 
Elenco: Jeremy Henner, Gemma Arterton, Famke Jenssen, Pihla Viitala, Derek Mears e Peter Stormare 
Classificação: 14 anos 

(Curiosidades bônus: Pode ser apenas uma impressão pessoal minha, mas acredito que quem fez o filme deve ter adorado a produção brasileira Tropa de Elite, pois durante o filme podemos perceber duas referências ao Capitão Nascimento. Vamos aos fatos:

1°: João usa a seguinte frase: “Bruxa boa é bruxa morta!”

2°: Antes de desferir um tiro na cara de uma bruxa, Maria fala: “Desculpa, mas o caixão não vai poder ficar aberto”. Coincidências ou não, vale a observação.)

Texto: Pedro Almeida. 





Um comentário: